Colunas

Os desafios da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo

Por:Robson Martin

Arquitetos e Urbanistas se reuniram no ano de 1933 em Atenas para discutir aspectos da arquitetura contemporânea e propor soluções para problemas em áreas urbanas, como aumento da população, crescimento desordenado, falta de infraestrutura, excesso de veículos, poluição do meio ambiente, moradias sem condições de habitabilidade, dentre outros problemas.

A Carta de Atenas, redigida pelo Arquiteto e Urbanista Le Corbusier, definiu o conceito do urbanismo moderno e traçou diretrizes que poderiam ser aplicadas internacionalmente, preconizando a divisão do território da cidade em áreas de uso residencial, de trabalho e de lazer. Exemplo da aplicação desses princípios foi o Plano Piloto de Brasília desenvolvido por Lúcio Costa, que arquitetou o espaço da superquadra, distribuiu os blocos, combinando-os com uma infraestrutura completa de clubes, comércio, escola, biblioteca, áreas verdes e espaços ecumênicos que se tornou um modelo de “poesia urbana”.

Em 2021, num cenário de pandemia mundial de Covid-19, as lições deixadas mostram sua importância, como priorizar a caminhada das pessoas, ou o uso de bikes, patinetes ou skates no trajeto entre suas atividades diárias, por exemplo. Conceito adotado por Jan Gehl nos projetos urbanos que visam uma cidade mais amigável para as pessoas que caminham ou pedalam por espaços arborizados e seguros.

Outra lição do mestre Lúcio Costa é que o sucesso das cidades depende de como os edifícios se relacionam com o solo, como se conectam entre si e como os espaços públicos ao seu redor se organizam. Precisamos repensar os espaços e valorizar o que acontece nos edifícios como sendo mais importante que o próprio edifício. Precisamos de contato com a natureza, por isso a importância dos projetos paisagísticos.

Investir em pesquisas e projetos que recuperem locais públicos, as calçadas e os acessos com autonomia e inclusão para todos, ciclovias interligadas, ruas compartilhadas e arborizadas, são soluções adotadas em outras cidades do mundo. Reiteramos nosso compromisso com a sociedade, contribuindo com o desenvolvimento de projetos arquitetônicos ou planos urbanísticos. Queremos e devemos construir uma boa cidade para todos!

MBA em Gestão de Projetos em Edificações (2013) e Bacharel em Arquitetura e Urbanismo (2005) pela Universidade Cruzeiro do Sul, Técnico em Transações Imobiliárias (1996) e em Edificações (1993). Desde 1994 atua em Projetos de Arquitetura e Obras de Construção e Montagem. No período de 2006 a 2016 atuou no Planejamento e na Fiscalização de Obras para a Petrobrás e Transpetro. Desde 2013 é Docente nos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, MBA Gerenciamento na Construção Civil e atual Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo e membro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário Módulo. Suplente no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano de Caraguatatuba (2020). Desenvolve projetos de arquitetura e construção, laudos técnicos e gerenciamento de obras através do escritório Robson Martin Arquitetura.