Colunas

Pequenas reformas, grandes resultados

Por:Robson Martin

O ramo da construção civil sofreu os impactos da Covid-19 no primeiro semestre de 2020 com demissões e suspensão de serviços temporariamente, mas, com a flexibilização sob orientação das autoridades públicas, houve o crescimento na demanda por projetos arquitetônicos para reformas em residências ou em condomínios no litoral Norte paulista.

O resultado positivo foram os empregos gerados na área. Isso ocorreu porque pessoas de outras cidades vieram durante a quarentena às cidades litorâneas para estudar ou trabalhar em home office, percebendo a necessidade de reformar sua residência ou apartamento.

“Algumas pessoas têm trauma de reformas que começam e nunca terminam ou reformas que terminaram e o resultado não foi o esperado. Mas é preciso ter calma. Pequenas reformas podem ter grandes resultados”, disse o arquiteto, que sugeriu algumas valiosas dicas.

Programa de necessidades bem definido: especifique todas as necessidades e as expectativas que o projeto arquitetônico deverá atender. O cliente e o arquiteto devem conversar sobre isso, afinal o projeto deve atender a lista de necessidades e de desejos. É importante ouvir as pessoas da família, por exemplo o casal e os filhos, visando entender seus hábitos, hobbys e estilo de vida.

Previsão de recursos financeiros: é a estimativa de quanto se pretende investir no projeto de reforma para atender suas necessidades, para comprar os materiais que deseja e contratar profissionais qualificados. O cliente e o arquiteto devem conciliar o projeto arquitetônico aos recursos disponíveis, planejando a execução da obra em etapas segundo a disponibilidade financeira. Evite a economia burra, por exemplo, comprar material com qualidade duvidosa ou contratar profissional mais barato, sem qualidade ou compromisso com o serviço.

O projeto arquitetônico será o resultado do levantamento da estrutura e do estudo de como viabilizar as necessidades, as expectativas, os recursos financeiros com conforto ambiental e a funcionalidade sem perder a beleza estética da arquitetura. É importante ressaltar que é preciso a aprovação do projeto de reforma junto à secretaria de Urbanismo para obtenção do alvará de reforma.

No caso de reformas em condomínios, a recomendação dos especialistas durante o início da quarentena da Covid-19 foi de liberar somente serviços para facilitar o uso do bem, sua conservação ou que não deteriore. Houve conflito entre as restrições de acessos e serviços versus a necessidade do proprietário de reformar sua moradia para realizar suas atividades em home office.

Com a flexibilização orientada pelas autoridades públicas, os síndicos puderam liberar as obras, criando regras de segurança sanitária e cuidados com o barulho que poderia prejudicar vizinhos que estudam ou trabalham em casa. É fundamental o planejamento com acompanhamento de profissional habilitado.

Lembrem-se: o investimento em obras de reformas na residência ou no apartamento valoriza seu patrimônio e pode trazer benefícios na qualidade de vida das pessoas através de ambientes planejados, com boa iluminação e ventilação naturais, integrados à natureza e esteticamente belos.

MBA em Gestão de Projetos em Edificações (2013) e Bacharel em Arquitetura e Urbanismo (2005) pela Universidade Cruzeiro do Sul, Técnico em Transações Imobiliárias (1996) e em Edificações (1993). Desde 1994 atua em Projetos de Arquitetura e Obras de Construção e Montagem. No período de 2006 a 2016 atuou no Planejamento e na Fiscalização de Obras para a Petrobrás e Transpetro. Desde 2013 é Docente nos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, MBA Gerenciamento na Construção Civil e atual Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo e membro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário Módulo. Suplente no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano de Caraguatatuba (2020). Desenvolve projetos de arquitetura e construção, laudos técnicos e gerenciamento de obras através do escritório Robson Martin Arquitetura.