Matérias

Personalizando projetos
Arquiteto dá identidade de acordo com a característica do cliente

Projetar um imóvel vai muito além dos traços e da criação de ambientes, escolha de acabamentos, entre outros desafios. É necessário sensibilidade para compreender os anseios daqueles que confiaram um sonho.

“Ambientes são para serem ocupados. Quem dele faz uso, o transforma à sua semelhança. A personalidade do ocupante deve sobressair em algum momento, inevitavelmente”, explica Fernando Dalprat, arquiteto do escritório Dalarq Arquitetura, que conta com as arquitetas colaboradoras Fernanda Garcia e Lumy Kazi.

“Quando nos é incumbido o desenvolvimento do espaço de alguém, assumimos a grata tarefa de buscar a personalidade do cliente em todos os cômodos, que, muitas vezes, ainda se encontra como um papel em branco”, diz.

Diálogo incessante e entender a rotina e gostos do cliente é essencial para o desenvolvimento do arquiteto, lhe permitindo ousar em sua proposta. Uma enorme responsabilidade ao profissional.

De acordo com Fernando Dalprat, referências sempre contribuem muito para que esse processo seja percorrido da melhor maneira. “Por ser algo tão nobre quanto ao seu resultado e significado, e por demandar do pleno entendimento do indivíduo, com suas singularidades, este processo tende a consumir razoável tempo de produção, com ensaios diversos de resultados, sempre observando a ergonomia do uso, as características técnicas dos equipamentos, as texturas dos materiais, a harmonia dos elementos, a relação física-financeira, a sustentabilidade da proposta e a estética do resultado”.

Quando todas as etapas são percorridas de forma planejada, o resultado tende a ser surpreendente aos moradores e àqueles que visitam. Ter um profissional capacitado faz toda a diferença.

Projetar um imóvel vai muito além dos traços e da criação de ambientes, escolha de acabamentos, entre outros desafios. É necessário sensibilidade para compreender os anseios daqueles que confiaram um sonho.

“Ambientes são para serem ocupados. Quem dele faz uso, o transforma à sua semelhança. A personalidade do ocupante deve sobressair em algum momento, inevitavelmente”, explica Fernando Dalprat, arquiteto do escritório Dalarq Arquitetura, que conta com as arquitetas colaboradoras Fernanda Garcia e Lumy Kazi.

“Quando nos é incumbido o desenvolvimento do espaço de alguém, assumimos a grata tarefa de buscar a personalidade do cliente em todos os cômodos, que, muitas vezes, ainda se encontra como um papel em branco”, diz.

Diálogo incessante e entender a rotina e gostos do cliente é essencial para o desenvolvimento do arquiteto, lhe permitindo ousar em sua proposta. Uma enorme responsabilidade ao profissional.

De acordo com Fernando Dalprat, referências sempre contribuem muito para que esse processo seja percorrido da melhor maneira. “Por ser algo tão nobre quanto ao seu resultado e significado, e por demandar do pleno entendimento do indivíduo, com suas singularidades, este processo tende a consumir razoável tempo de produção, com ensaios diversos de resultados, sempre observando a ergonomia do uso, as características técnicas dos equipamentos, as texturas dos materiais, a harmonia dos elementos, a relação física-financeira, a sustentabilidade da proposta e a estética do resultado”.

Quando todas as etapas são percorridas de forma planejada, o resultado tende a ser surpreendente aos moradores e àqueles que visitam. Ter um profissional capacitado faz toda a diferença.